Sonhos decrescentes.

montain

Certas vezes a produção dos sonhos entra em hiatos, um longo período de hiatos. Mas outras vezes a produção em uma única noite é tão grande que fica difícil organizar os fatos e contar eles aqui.

Engraçado é que meus sonhos estão sendo lembrados pelo botão voltar, e não no sentido correto. Então vou começar pelo final.

rew

(3) No final do sonho essa noite eu estava em uma igreja fazendo algum trabalho, acho que a minha função era ser responsável pela parte do som, até então tudo certo.
Então veio uma pessoa segurando um cabo de caixa de som (não sei o nome disso) e pediu gentilmente para conectar aquilo na caixa, porque era importante mas não deixavam ela fazer aquilo, e como eu estava integrada, poderia fazer. Conectei o cabo na caixa de som e começaram a transmitir o som para vários lugares, o que não era permitido pela empresa, então eu fui sentenciada á morte, algo mais ou menos assim.

Com os acontecimentos do evento tiveram que cancelar a apresentação do Paul Banks no coral da igreja, pelo qual todos estavam esperando. E ninguém tinha coragem de entrar no confessionário (onde, normalmente como todos os vocalistas fazem) ele estava ensaiando.

(2) Antes de ter me despedido do Paul eu estava em uma espécie de acampamento.
O acampamento era voltado para escolas particulares, onde todos os alunos eram ricos e filhinhos de papai, ou seja, eu não me encaixava.
Mesmo não podendo, fui teimosa e me infiltrei entre os alunos no acampamento. No começo nem notaram a minha presença até que eu resolver nadar na piscina do alojamento, que ficava no telhado de um galpão. Mas ao invés de nadar, eu peguei um daqueles barcos de passeio, que tem vários lugares e fiquei andando nele até todos os outros alunos descobrirem a piscina, que foi quando eu virei a plebe e tive que empurrar o barco pra eles.

(1) Mas então antes ainda de nadar no terraço e de não ver Paul Banks tocando na igreja eu estava procurando um emprego em São Paulo.
Eu ia e voltava várias vezes no sonho, dava voltas sem parar em lugar nenhum porque primeiro eu precisava de um emprego em uma lanchonete, mas para isso tinha que falar com a minha mãe que estava na rodoviária e não tinha sinal de celular, então eu dei voltas e mais voltas, de bicicleta, mas não saia do lugar.

4749f7f4f9b20b98d08e7b51b5bf12c649279a7e_m

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s